sábado, 14 de outubro de 2017

A Dádiva do Inferno Part.8





  
                                             O Fim das Trevas - A Dádiva do Inferno Part.8

                                                                    VÍDEO ANTERIOR




                                                                               
     

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

O Nome do Demônio ( Legado de Trevas ) Part. 97





                                                                               


       O corpo da Mulher Escarlate encontrava-se inerte no chão, com o crânio esmigalhado aos pés do homem velho.
      O homem velho, uma entidade poderosa habitando uma forma tão velha e frágil.

    Entidade essa que ignorando completamente o cadáver da Loba das Trevas aos seus pés, volta-se abruptamente na direção de sua verdadeira antagonista nesse mundo, na direção do Animal Negro. 

   Mas havia somente um rastro de sangue no lugar onde Lilith havia caído; Ferida mortalmente por Lamashtu.

   O personagem de ombros largos e cabelos grisalhos, em silêncio segue o rastro de sangue com passos calmos, dirige-se até o ponto onde a trilha vermelha e fresca terminava.
   E atrás de um arbusto alto e cerrado, recostada no tronco de um robusto pinheiro lá estava a Lua Negra, alquebrada.

     Ela esboça um sorriso, mais sangrento do que sarcástico para o velho, enquanto uma de suas mãos segurava a garganta estraçalhada pela Leoa Sangrenta. 
     A Rainha Vampira tenta pronunciar algumas palavras, mas é inútil pois o sangue em borbotões escorre de sua boca. O homem velho a observa ainda com as mãos sujas pelos miolos de Lamashtu, e estreitando os olhos sem pupilas para Lilith fala :


      ´´   Eu, não sei o que pensar de você agora, amada esposa. Me traiu, conseguiu escapar de minhas garras tantas e tantas vezes, dominou as palavras do Livro com uma maestria quase comparável a minha. E no entanto, terminou sendo degolada por aquela Besta vermelha. ``


     A Lua Negra desmorona apoiando-se sobre um dos cotovelos, e sua mão já trêmula ainda tentava em vão conter o sangue do rasgo na garganta. Seus olhos amarelos, já começavam a perder a vida. Mas orgulhosa, continuava a fitar o velho tentando não demonstrar seu medo. O homem velho continua :


   ´´  Você... você queimou aquela criaturinha insignificante na fogueira... ``


     Ele aponta para os corpos carbonizados de Ifrit e Amélia, a poucos metros deles.


  ´´  ... acreditando que fosse eu!?   ``



     O demônio faz uma careta de desdém cínico para a Lua Negra, e virando as costas para ela prossegue :



   ´´   Vou deixar que morra lentamente, não irei abreviar suas dor. Esse ferimento em sua garganta não seria mortal se... consegui-se alguma vítima para secar as veias e recuperar o que perdeu, mas não vai.
  Me certificarei disso. Pois vou matar todos os vampiros dentro daquela casa, não haverá ninguém para lhe servir de oferenda. E aquela lua de sangue lá no alto, drenará o resto de suas forças. ``


       Ele aponta para a lua vermelha brilhando pálida, entre as nuvens revoltas no céu noturno.



 ´´  E mesmo que por alguma maldição do inferno, consiga sobreviver como você sempre o faz... minha Matilha está chegando, e vai esterilizar esse lugar. Esse é seu fim Lilitu, depois de milênios caçando a prostituta do abismo, finalmente terei meu espólio de guerra. Agarra-se aos seus últimos momentos de existência, pois não haverá retorno, da escuridão para onde vai. ``


        O velho então abandona uma Lilith moribunda e dirige-se para o menino sentado em transe sobre o altar. Com passos largos e vigorosos, não demonstrando a idade já avançada do corpo que assumiu.
  Samael fica frente a frente, com a cria mais preciosa da Lua Negra, com a dádiva mais preciosa de Shaitan. Ele afaga os cabelos negros do menino, e desliza os dedos e a palma da mão pelo rosto do garoto, sujando a face do menino com sangue e miolos da Loba das Trevas.





                                                                           
  E sem mais demora, levanta o garoto do altar e o deposita sobre o seu ombro. Mas antes de dirigir-se para a mansão, o velho de suéter cinza e cabelos grisalhos de costas para Lilith. E com o menino desfalecido sobre o ombro brada alta em direção ao escuro das árvores.



   ´´  Ah! É claro, eu já ia me esquecendo. Enquanto a você Artemisis, sei muito bem que está escondida em algum lugar... muito bem ocultada de mim. Devo admitir que Lúcifer a doutrinou muito bem, não consigo encontrá-las. É, eu sei que está protegendo a caçadora, a humana infectada pelo vírus do Animal Negro.
    E acredito que já deva ter descoberto minha misteriosa identidade.
   Samael... esse é o nome do demônio! Ou como vocês celeste adoravam me chamar, ´´ O Veneno de Deus ``!  Lilith queimou aquele pobre Alastor enviado por Shaitan antes da menina lunática, realmente acreditando que o infeliz fosse eu. Que lástima. ``


      Ele coça o queixo e olha ao redor.




   ´´  E para nossa brava caçadora também tenho uns segredinhos... bem, o primeiro é óbvio, não sou o seu tio, apenas assumi a forma dele... e, descobri a localização de vocês, seguindo o segundo Alastor que Shaitan enviou para rastrear o garoto; Isso mesmo, a menina lunática de cabelos pintados.  E enquanto aos seus tios... matei, despedacei os dois, e abandonei seus restos em um aterro sanitário. `` 



        Escondidas entre o vão de uma velha nogueira e o antigo solar, Artemisis tapava a boca da caçadora e a segurava firme em um abraço, segurando seus braços e cintura. As duas estavam encolhidas naquele diminuto espaço. Artemisis já encontrava dificuldades, em conter a fúria crescente de Madalena que tinha seus gritos de ódio abafados pela arcanjo.


                      Continua...


                                                         
                                                          POSTAGEM ANTERIOR



                      



   


   
     


    

sábado, 30 de setembro de 2017

Egyptian Demon



As Crias de Lilith

As Crias de Lilith

As Crias de Lilith

As Crias de Lilith

As Crias de Lilith

As Crias de Lilith

As Crias de Lilith
                                                                                 
As Crias de Lilith

As Crias de Lilith
                                                                          
As Crias de Lilith
     
As Crias de Lilith
                                                                                     
As Crias de Lilith

As Crias de Lilith
                                                                          
As Crias de Lilith
                                                                                
As Crias de Lilith
                                                                               
As Crias de Lilith


                                                                                 

                                                                                    
                                                                                     
                                                                                               

sábado, 16 de setembro de 2017

A Dádiva do Inferno Part.7





                                         A Estrada para o Abismo

                                                     VÍDEO SEGUINTE


                                                                               
                                                     VÍDEO ANTERIOR

sábado, 9 de setembro de 2017

Dívida de Sangue ( Legado de Trevas ) - Part. 96

                                                                              




          Aquele pobre velho que até ali, demonstrava ser inofensivo, frágil. Ergue-se do chão com uma vitalidade e força surpreendentes. Enquanto Lamashtu rastejava pela relva, tentando não demonstrar a dor lancinante de seu tornozelo quebrado em duas partes.

           O homem velho já de pé, suspira profundamente abrindo os dois braços com os punhos cerrados, e sorri admirando o céu escuro e sinistro daquela noite.

          Não havia mais nada de humano em seus olhos. Olhos brancos como a neve impiedosa, de um longo inverno gélido.
          Olhos cheios de crueldade que voltam-se para a Loba das Trevas, que arrastando-se de modo desesperado tentava alcançar a espada caída a poucos metros dela.
         A Mulher Escarlate sabe quem ele é... e ela, o teme! A Loba consegue alcançar o cabo da lâmina, mas o velho surge pisando sobre a espada.

      
          ´´  Não criança... hoje não haverão finais felizes. ``


    Abaixando-se, de forma agressiva ele segura a cabeça de Lamashtu com suas duas mãos calejadas. A Mulher Escarlate instintivamente agarra-se aos pulsos do velho, em uma tentativa completamente inútil de soltar-se. Pois nem mesmo aquela lua de sangue no céu lhe daria forças, para confrontar tão horrenda e poderosa entidade. O homem velho então, com seus olhos alvos fixos na Leoa Sangrenta, fala :

   
       ´´    Admirável, Ceifadora. Você resiste com uma fúria desenfreada, e quase poética; Feito o demônio que é, sempre atacou suas presas como uma loba faminta, uma predadora implacável. Sempre com a plena certeza de que nada, nem ninguém poderia predar a temível Mulher Escarlate.
   Admirável, inspirador e... ERRADO!
  Tão cega pelo ódio e pela vingança, por Liltih... que esqueceu-se dos inimigos que tinha á sua volta. Foi um grande erro Leoa, um erro grande demais. Erro que ira pagar com sua própria vida.
   Mas... no fim das contas, todo o demônio nasce com uma dívida de sangue a pagar, não é verdade? ``
  

                                                                  



   Quando o velho lentamente começa a comprimir a cabeça da Loba das Trevas entre suas mãos, ela grita... seus gritos se tornam mais aterrorizantes ainda, quando o velho enterra seus polegares,  assim atravessando de modo impiedoso, perverso, os glóbulos oculares de sua vitima. O personagem robusto de cabelos grisalhos sorri, enquanto desfigura o rosto da Ceifadora, ignorando a agonia terrível da mesma.

    O som úmido dos ossos do crânio de Lamashtu sendo esmagados, silenciam os gritos da mulher demônio. Um ultimo e fraco lamento... e o corpo da Mulher Escarlate tomba ao chão, inerte, sem vida.CONTINUE LENDO

                



                                                                         
                                                       POSTAGEM ANTERIOR

domingo, 3 de setembro de 2017

Condenados



As Crias de Lilith


As Crias de Lilith

                                                                                 
As Crias de Lilith
                                                                              

As Crias de Lilith


As Crias de Lilith

                                                                                          
As Crias de Lilith

                                                                               
As Crias de Lilith
      
                                                                               
As Crias de Lilith

                                                                                    
As Crias de Lilith



As Crias de Lilith
                                                                             
                                                                                        
As Crias de Lilith

                                                                                     
As Crias de Lilith
                                                                              

As Crias de Lilith

                                                                                
As Crias de Lilith

                                                                               
As Crias de Lilith

                                                                               
As Crias de Lilith


As Crias de Lilith
                                                                                  
                                                                                     
As Crias de Lilith


                                                                             
As Crias de Lilith
       
                                                                                 

sábado, 19 de agosto de 2017

O Demônio Velho ( Legado de Trevas ) - Part. 95






                                                                                     

     A saliva escorria pelos cantos da boca, entre os dentes afiados... Lamashtu tinha fome!




   Seus passos em direção a criança eram arrastados, ela movia-se de forma aterradora arrastando os pés feito um zumbi. A Loba das Trevas deleitava-se com aquela sensação... uma doce sensação de vitória, uma doce sensação de vingança.

     A Lua Negra alquebrada de joelhos a poucos metros dela, tentava conter em vão, o sangue que abandonava seu corpo feito um rio, sangue de sua garganta rasgada.

      A Leoa Sangrenta ignora o sofrimento da Rainha Vampira, Lamashtu queria tão somente ... a doce carne da pequena cria de Lilith. Pois a Mulher Escarlate tinha fome, fome de carne humana.

   Apenas quatro passos a separavam do menino indefeso, em transe sobre o altar.
   Pois até mesmo os lilins que acompanhavam o Animal Negro durante o ritual profano, haviam sido decapitados na investida selvagem da Leoa Sangrenta contra a Lua Negra. Criaturas fracas os filhos do Animal Negro, fracos e patéticos, todos eles.


                                                                              



    Apenas dois passos a separavam de sua inocente presa. Lamashtu faria Lilith assistir, enquanto ela arrancava as entranhas da criança... e as devorava. A Leoa Sangrenta trazia consigo a traição da Lua Negra a milênios queimando feito o fogo do inferno em seu âmago, e poucas foram as chances tão claras, para que o demônio vermelho conseguisse obter sua revanche.
     Silenciosa e faminta, a menos de dois passos do garoto, ela já abria suas mandíbulas horrendas de dentes afiados feito navalhas.

       Até que... uma mão velha e calejada detém a Loba das Trevas, segurando seu tornozelo com dedos trêmulos. Lamashtu olha para baixo com um misto de surpresa e ódio. Um velho de cabelos grisalhos e de feição suplicante tentava impedir de forma ridícula o avanço da Mulher Escarlate. Caído a poucos centímetros de seus pés ( e ao mesmo tempo, Madalena que deveria estar aprisionada pela magia da Tentadora ao lado de seu tio, misteriosamente havia desaparecido ).


                                                                                  

 


     Como!? Um verme tão insignificante ousava deter sua marcha! Lamashtu trazia um ódio furioso, em seus olhos de predador. Ódio que derramaria selvagem sobre aquele personagem velho e frágil.

         Ódio... que da lugar a uma dor lancinante.


     A Loba das Trevas grita, quando tem seu tornozelo partido em dois... pela força descomunal do frágil velho; de cabelos grisalhos.CONTINUE LENDO


                                  



                                                                  POSTAGEM ANTERIOR